China: Um impulso temporário ou durável?

3 min
Mahamoud Islam
Mahamoud Islam Senior Economist for Asia

As exportações em dólar subiram +9,1% a/a em janeiro (após queda de -4,4% em dezembro), impulsionadas principalmente pela demanda da UE (+15,3%) e ASEAN (+12,5%). As importações denominadas em dólares continuaram a contrair, mas a um ritmo mais lento (-1,5% a/a após -7,6% em dezembro), com as importações da UE recuperando (+ 8,2% a/a) e a demanda por produtos ASEAN diminuindo moderadamente. Enquanto isso, os números do crédito surpreenderam positivamente, com forte crescimento dos fluxos agregados de crédito em janeiro (+RMB4.6tn, após +RMB1.6tn em dezembro). Em outras notícias, os valores dos preços revelaram preços de produção decepcionantes (+0,1% a/a em Janeiro), aumentando os receios de deflação. Olhando para o futuro, acreditamos que esses dados devem ser interpretados com cautela, pois provavelmente foram distorcidos pelos feriados do Ano Novo Chinês. Mantemos cautelosamente nossa projeção de crescimento do PIB para este ano em +6,3% (após +6,6% em 2018).