Turquia: Recessão se aprofunda, rebalanceando a lentidão

3 min
Manfred Stamer
Manfred Stamer Senior Economist for Emerging Europe and the Middle East

A produção industrial recuou pelo quarto mês consecutivo em dezembro, com o ritmo de contração se acelerando para -9,8% a/a (com ajuste sazonal; -6,6% em novembro). Isso levou o crescimento anual da produção industrial para apenas +1,8% para 2018, ante 8,9% em 2017. Da mesma forma, as vendas no varejo caíram -9,2% a/a em dezembro, reduzindo a expansão de 2018 para apenas +1,4%. Enquanto isso, as importações (bens e serviços) denominadas em dólar caíram -27% a/a em dezembro (-20% em novembro), enquanto a recuperação anterior das exportações (+7% em novembro) foi interrompida em dezembro (-2 %). Como resultado, a conta corrente mensal voltou a ser deficitária após quatro meses de superávits. Ainda assim, o déficit externo acumulado em 12 meses está diminuindo e deve continuar a fazê-lo, embora em um ritmo mais lento. Em meio a esses sinais de uma profunda recessão, o Banco Central reduziu na semana passada os coeficientes de reserva para os bancos, a fim de impulsionar o crescimento do crédito. No entanto, a mudança pode comprometer o impacto positivo do regime de taxas de juros mais altas desde setembro de 2018, que levou a uma redução do crescimento do crédito privado para +15% a/a em dezembro de um pico insustentável de +39% em agosto de 2018.