Alemanha: Depois de um ano desfavorável, 2020 ainda não deve trazer grandes mudanças

2 min
Katharina Utermöhl
Katharina Utermöhl Senior Economist for Europe

Com taxa de crescimento de apenas 0,6% em 2019, a economia alemã registrou sua menor alta desde a crise da dívida pública da Zona do Euro. Foi somente graças ao crescimento sólido no consumo, além do investimento na construção civil, que foi possível evitar uma recessão.

O pior ficou para trás, mas a economia alemã ainda não entrará em uma recuperação continua. O fraco crescimento do PIB no quarto trimestre (expectativa de +0,1% t/t) sugere que o momentum econômico alemão se estabilizou em níveis baixos. No futuro próximo, esperamos que a retomada no crescimento ocorra de forma gradual.

Por um lado, obstáculos estruturais retardarão o avanço do PIB, incluindo a piora na perspectiva comercial global, além de desafios regulatórios e tecnológicos para o setor automobilístico do país. Em segundo lugar, embora o impacto do estoque negativo comece a sumir e os efeitos de base se tornem mais favoráveis conforme a indústria iniciar sua recuperação, a aceleração será ainda fraca para impulsionar o crescimento nos investimentos fixos.

Enquanto isso, o consumo continuará a ser o pilar fundamental da economia alemã, porém um maior aumento nos gastos é improvável. No geral, esperamos que o crescimento do PIB alemão em 2020 chegue a +0,6%, com ajustes sazonais.