China: Aumento de pressão sobre formuladores de política monetária

3 min
Mahamoud Islam
Mahamoud Islam Senior Economist for Asia

Os indicadores mensais de atividade em abril foram decepcionantes e aumentaram a pressão sobre os formuladores para intensificar as medidas expansionistas. O crescimento da produção industrial desacelerou para +5,4% a/a em abril (após +8,5% em março). As vendas no varejo, importante maneira de medir o consumo privado, desaceleraram para +7,2% a/a (em relação a +8,7%). O investimento expandiu a um ritmo mais lento (+6,1% a/a em janeiro-abril, após +6,3% em janeiro-março) devido ao investimento privado mais fraco (+5,5% a/a em janeiro-abril). As despesas de capital público continuaram a ganhar força (+7,8% a/a YTD). Tudo isso após a obtenção de dados mistos sobre o comércio (queda nas exportações, aumento das importações) e PMIs de fabricação decepcionantes. Quanto à perspectiva, a turbulência do crescimento aumentou significativamente nas últimas duas semanas. As tensões comerciais entre os EUA e a China se intensificaram, com ambos os países elevando tarifas um contra o outro: 25% sobre USD 200 bilhões de importações vindas da China nos EUA; tarifas de 5% a 25% sobre USD 60 bilhões de importações dos EUA na China. Nesse contexto, o apoio vindo da política monetária deve aumentar. Nossa previsão é de três cortes na taxa de compulsório (RRR) de 100bp cada e dois cortes na taxa de juros de 25bp até o final deste ano.