Comércio: A porta se abriu para mais tarifas sobre a União Europeia

2 min
Ana Boata
Ana Boata Senior Econmist for Europe
Georges Dib
Georges Dib Economist for Latin America, Spain and Portugal

A Organização Mundial do Comércio (OMC) autorizou que os EUA imponham tarifas sobre mercadorias importadas da União Europeia para cobrir uma perda anual estimada em 7,5 bilhões de dólares para compensar o auxílio estatal ilegal fornecido à fabricante de aeronaves Airbus. Os encargos adicionais dos EUA afetarão um total de 60 bilhões de euros em mercadorias da UE, quase 15% do total das exportações da UE para os EUA.

As mercadorias tributadas são sobretudo aviões e peças de aeronaves, além de produtos de luxo – como vinho e destilados – e artigos de couro. O aumento médio das tarifas é estimado em 15 pontos percentuais em relação à tarifa atual de 2% sobre essas mercadorias. Peças de aeronaves seriam tributadas em 15%, bebidas em 80% e máquinas especializadas em mais de 100%. No entanto, uma vez que isso representa apenas 3% do total de importações dos EUA, o impacto sobre a tarifa de importação total dos EUA é considerado insignificante (cerca de 0,1 ponto percentual em relação aos atuais 8%).

Estimamos uma perda anual nas exportações para a UE de 9,7 bilhões de dólares. Os países que mais devem sofrer com a mudança são a França (-2,4 bilhões de dólares), Itália (-2,1 bilhões de dólares) e Alemanha (-1,9 bilhões de dólares). Em termos de crescimento do PIB, isso custaria cerca de -0,1 ponto percentual para a França e a Itália. Além disso, prevemos que os EUA anunciarão uma elevação da tarifa sobre importações de carros da UE em meados de novembro.