França: Panorama dividido

3 min
Stéphane Colliac
Stéphane Colliac Senior Economist for France and Africa

Na França, as pesquisas de confiança das empresas apontam para uma deterioração, especialmente devido à demanda estrangeira. O índice de confiança da fabricação caiu para 102 pontos em junho, levando a média do segundo trimestre ao nível mais baixo desde o terceiro trimestre de 2016. Os pedidos de exportação se deterioraram acentuadamente em junho, no ritmo mais intenso desde o primeiro semestre de 2013, especialmente na cadeia de valor agregado do setor automotivo (fabricantes de automóveis, distribuidores de automóveis, metais) e em setores altamente cíclicos como o de produtos eletrônicos e químicos. Ao mesmo tempo, as empresas francesas continuaram a sentir pressões sobre o inventário como resultado da demanda mais baixa, mas os setores afetados evoluíram. Os inventários das fabricantes de automóveis voltaram ao nível “normal”, mas as distribuidoras de carros ainda têm inventários acima da média de longo prazo; e os produtos eletrônicos juntaram-se ao clube. Ao mesmo tempo, o setor do varejo não viu nenhuma melhoria no sentimento, com um índice de confiança geral abaixo da média (97) e a deterioração mais forte encontrando-se entre os varejistas de alimentos. Finalmente, os setores de serviços e construção civil ainda estão em boas condições e provavelmente serão os grandes vencedores do aumento esperado nos gastos dos lares como resultado dos estímulos fiscais, permitindo que o crescimento do PIB atinja +1,2% em 2019.