França: Vamos ficar no meio a meio

3 min
Stéphane Colliac
Stéphane Colliac Senior Economist for France and Africa

As exportações francesas cresceram em 5,5 bilhões de euros em maio e os ganhos de exportação atingiram cerca de 14,2 bilhões de euros nos cinco primeiros meses, o que corresponde ao que esperávamos para o ano inteiro. O setor que mais cresceu foi o da aeronáutica (+4,8 bilhões euros), seguido pelo de artigos de luxo (+2,8 bilhões de euros), eletrônicos (+1,8 bilhão de euros) e produtos farmacêuticos (+1,3 bilhões de euros). Em termos de destinos, os EUA surpreenderam com o aumento mais forte até o momento este ano (+2,2 bilhões de euros), o que se explica em grande medida pelo aumento nas exportações de aeronáutica (+2 bilhões euros), seguidos pela China e pelo Reino Unido (+1,7 bilhões de euros cada). No entanto, o aumento para o Reino Unido foi atingido no primeiro trimestre e caiu no segundo, antes de uma reversão esperada durante o outono devido à retomada do aumento dos estoques antes do próximo prazo do Brexit. Os destinos da Zona do Euro continuam abaixo da média, com crescimento estagnado de exportação para a Alemanha, o que explica em grande medida a redução geral nas exportações para distribuidoras de automóveis (-0,5 bilhões de euros). O setor farmacêutico é a exceção, uma vez que 85% dos ganhos de exportação foram obtidos na Zona do Euro. No geral, esperamos que os ganhos de exportação sejam subitamente interrompidos no segundo semestre como resultado de tensões comerciais: os pedidos de exportação caíram repentinamente em junho para fabricantes de automóveis, produtos químicos, eletrônicos e plásticos.