Oriente Médio: Escalada do conflito entre Irã e os EUA

2 min
Manfred Stamer
Manfred Stamer Senior Economist for Emerging Europe and the Middle East

A morte do general iraniano Qassem Soleimani após um ataque aéreo dos Estados Unidos no dia 3 de janeiro pode bagunçar toda a estabilidade no Oriente Médio. A escalada do conflito entre os Estados Unidos e o Irã agora parece irreversível, como comprovado pelo lançamento de mísseis pelo Irã alvejando tropas dos EUA em 8 de janeiro, com três principais consequências sendo previstas para 2020:

(i) A política externa dos EUA deve continuar a abandonar o papel de país fornecedor de um importante ativo público mundial (segurança), usando a política externa (comércio e geopolítica) como munição contra assuntos domésticos (por exemplo, o impeachment).

(ii) O confronto entre o Irã e os EUA deve se intensificar ao longo dos próximos meses, com mais enfrentamentos letais. No entanto, ele deve permanecer controlado, embora o risco de uma guerra total entre os dois lados certamente tenha aumentado e não possa ser negligenciado ao se fazer negócios na região. Em todo caso, a instabilidade regional já elevada no Oriente Médio cresceu ainda mais.

(iii) As tensões elevadas farão aumentar o preço do petróleo este ano e fomentarão a volatilidade; nosso modelo sugere uma revisão para cima do nosso panorama de preços de petróleo: de 62 dólares por barril para 66 dólares por barril, em média, para 2020.