Polônia: Mais uma desaceleração prevista para 2020

A desaceleração esperada do crescimento econômico da Polônia em 2019 foi confirmada. O PIB real expandiu em +4,0% no ano como um todo, caindo a partir de +5,1% em 2018 e um pouco abaixo do consenso projetado (+4,2%), segundo estimativas preliminares. Os detalhes do lado da demanda só estão parcialmente disponíveis, mas indicam que o crescimento em 2019 foi impulsionado sobretudo por usos domésticos (+3,6pp) e as exportações líquidas contribuíram +0,4pp. O consumo privado cresceu em +3,9%, o que está abaixo em relação a +4,3% em 2018. Graças ao uso contínuo de financiamento da UE, o investimento fixo cresceu em rápidos +7,8% no ano passado, um pouco abaixo de +8,9% em 2018. No entanto, os inventários subtraíram -0,8pp do crescimento geral do PIB em 2019, contribuindo em grande medida para a desaceleração anual.

Os dados do ano inteiro sugerem uma desaceleração marcada do crescimento no último trimestre de 2019, completando uma tendência de queda firme nas taxas de crescimento trimestrais ao longo do ano. Os números do PIB para o quarto trimestre ainda não foram fornecidos, mas os dados do ano como um todo indicam que o crescimento anualizado (a/a) desacelerou acentuadamente para +2,7% no quarto trimestre em relação a +3,9% no terceiro trimestre, +4,6% no segundo trimestre e +4,8% no primeiro. Essa conclusão é sustentada por uma desaceleração no crescimento da produção industrial, que caiu ao nível mais baixo em três anos de +3,0% a/a no quarto trimestre. Ademais, o PMI de Manufaturas caiu a uma média trimestral de 46,8 pontos no quarto trimestre, o nível mais baixo em mais de 10 anos.

Para 2020, projetamos uma desaceleração do crescimento econômico para o ano inteiro de +3,2%, mas com uma recuperação gradual de trimestre a trimestre. Analisando os dados mensais, o PMI de Fabricação, além de seus subcomponentes de “novos pedidos”, chegou ao seu nível mais baixo em outubro de 2019 e registrou uma leve recuperação no final do ano passado. Como resultado, esperamos que o crescimento real do PIB chegue ao limite inferior na virada do ano e projetamos uma recuperação gradual (a partir de +2,7% a/a no quarto trimestre) ao longo de 2020.

O que isso significa para as empresas? Dados recentemente publicados mostram que o número de insolvências corporativas estabilizou em 2019 (977 casos, caindo -1% em relação a 988 casos em 2018), após três anos de aumentos marcados. Isso reflete, ao menos em parte, que o declínio das margens de lucro de corporações não financeiras chegou ao fim no ano passado. Junto à nossa projeção de crescimento econômico descrita acima, esperamos outro ano de estabilidade no número de insolvências em 2020.

Figura 1: Insolvências corporativas na Polônia (números e mudanças anuais)