Reino Unido: Rumo a um Brexit mais suave

3 min
Ana Boata
Ana Boata Senior Economist for Europe

O Parlamento do Reino Unido votou na semana passada em quatro opções alternativas do Brexit, sem que nenhuma delas recebesse a maioria dos votos. No entanto, a União Alfandegária permanente com a União Europeia perdeu por apenas 3 votos (em relação a 6 na última sexta-feira), então claramente há um certo movimento no Parlamento quanto a essa opção. O interessante é que a opção que obteve o maior aumento no apoio foi a Noruega+ (União Alfandegária + Mercado Único). Vale lembrar que em 29 de março o Parlamento rejeitou, com uma margem ampla de votos, o cenário "Sem acordo" em 12 de abril (160 contra 400 votos), sendo esta a data limite estabelecida pela UE. A revogação do Artigo 50 também foi rejeitada (184 contra 293 votos). Também vale lembrar que a primeira-ministra May tem até a próxima Cúpula da UE em 10 de abril para estabelecer uma solução alternativa na falta de um voto majoritário em seu acordo (já rejeitado três vezes pelo Parlamento britânico). As opções são: (i) uma extensão mais longa do Artigo 50 com uma finalidade clara (ou seja, negociar um Brexit mais brando); (ii) sem acordo; (iii) sem Brexit (ou seja, revogar o Artigo 50 unilateralmente). O Parlamento britânico precisa de uma maioria de votos em uma dessas opções de Brexit ou no acordo de Theresa May,e acreditamos que a sequência de votos continuará no Parlamento nos próximos dias.