Zona do Euro: Pacote grande vindo em setembro, e ainda há mais por vir

2 min
Katharina Utermöhl
Katharina Utermöhl Senior Econmist for Europe at Allianz SE

Como esperado, o BCE anunciou um pacote de estímulo monetário abrangente em sua reunião de setembro, constituído por uma gama de instrumentos de política monetária, incluindo:

  • Um corte de 10bp na taxa sobre depósitos para -0,5%, uma atualização de sua orientação futura ligando a perspectiva da taxa de juros aos desenvolvimentos da inflação subjacente
  • A introdução de um sistema de depósito dividido em níveis, condições mais favoráveis do TLTRO III (Targeted Longer-Term Refinancing Operations)
  • E, por fim, mas não menos importante, um programa de flexibilização quantitativa aberto com compras mensais de EUR 20 bilhões.

Apesar do grande pacote de estímulo, esperamos que o BCE flexibilize ainda mais sua atitude em termos de política monetária em 2020, na tentativa de cumprir sua meta de inflação de até 2% no contexto de perspectivas reduzidas na Zona do Euro e da continuidade da flexibilização do Fed como resposta à estagnação do crescimento dos EUA.

Esperamos que a taxa de depósito seja cortada em mais duas ocasiões ao longo de 2020, chegando a -0,7%, enquanto as compras mensais de flexibilização quantitativa poderiam aumentar para EUR 30 bilhões já em abril de 2020. Para isso, o BCE será forçado a elevar o limite para o emissor dos 33% atuais para abaixo de 50% para garantir a viabilidade do programa de flexibilização quantitativa.