Europa Central e Oriental: O crescimento está desacelerando, mas permanece robusto

3 min
Manfred Stamer
Manfred Stamer Senior Economist for Emerging Europe and the Middle East

As primeiras estimativas indicam que o crescimento real do PIB no grupo dos 11 membros da UE na região da CEE situou-se em +4,2% a/a no quarto trimestre (inalterado em relação ao terceiro), levando o crescimento de 2018 para uma estimativa de 4,3%. Este último está ligeiramente abaixo de +4,7% em 2017, mas bem acima da média de 10 anos de +2,3%. A Polônia superou a região no ano passado com um crescimento de +5,1%. Na Hungria, o crescimento anual do PIB subiu acentuadamente para +4,8% (de +4,1%) em meio a preocupações de superaquecimento decorrentes do rápido crescimento dos salários, enquanto a política monetária permanece muito solta. O crescimento acelerou também na Eslováquia (para +4,1% de +3,4%) e na Letônia (para +4,8% de +4,5%) enquanto moderou na República Checa (para +3% de +4,3%), Bulgária (para +3,1% de +3,6%) e Lituânia (para +3,5% de +4,1%). A Romênia registou a mais acentuada desaceleração (para +4,1% de +7%), dado que a economia está a reequilibrar devido ao sobreaquecimento em 2017. Tendo como pano de fundo o abrandamento do investimento em casa e o abrandamento do crescimento na Europa Ocidental, esperamos um crescimento regional dos 11 Membros da UE na CEE para moderar para cerca de 3,3% em 2019.