China: A desaceleração continua

2 min
Françoise Huang
Françoise Huang Senior economist for Asia-Pacific

O crescimento do PIB da China foi abaixo do esperado no terceiro trimestre, caindo para +6% a/a ante +6,2% no segundo trimestre. Os dados mensais também sugerem que a desaceleração da economia chinesa ainda não terminou. A produção industrial em setembro recuperou mais do que o esperado (a +5,8% a/a, ante +4,4%), mas está abaixo do ritmo de crescimento do primeiro semestre.

O investimento em ativos fixos também sofreu redução, desacelerando para +5,4% a/a YTD em setembro (ante +5,5% em agosto) devido ao setor privado. As vendas do varejo se recuperaram levemente em setembro, atingindo +7,8% a/a ante +7,5%, mas podem ter sido apoiadas sobretudo pela inflação mais alta. Os líderes chineses parecem confortáveis com a desaceleração atual.

A mistura de políticas é acomodativa, mas um plano de estímulo parece improvável no curto prazo. Para fins ilustrativos, a Taxa de Empréstimos Primária (LPR, Loan Prime Rate) atualizada em 21 de outubro permanece inalterada (por ora), ante o consenso nas expectativas de um declínio de cerca de 0,5 pontos. A Euler Hermes prevê que o PIB da China crescerá para +6,2% em 2019 e para +6,1% em 2020, mas ainda com risco de queda no ano que vem.